Gravidez


‎"Pari meu ser definitivo, mas tirei-me a ferros de mim mesmo"

Fernando Pessoa feito Bernardo Soares 
em O Livro do Desassossego, 
Companhia das Letras, 2011, p. 59.


Leio e escrevo.



Gravidez

Estava grávida de mim
grávida de meus sentimentos
Grávida de minhas palavras
E a gravidade estava inteira
na garganta e na dureza dos dedos
Que se recusavam "à parição"

Voou o tempo,
Passou o vento...

Pari!

Agora sou mãe do que sou
E a gravidade está no coração latente
pois que é chama de vida!


Por Vanessa Vieira

Imagem: Tumblr
 Continuo alegremente 
minhas leituras 
de Pessoa com
Carmen Silvia Presotto

Poe R (s)ias


E hoje encontro-me com a bela arte de Quint Buchholz. E que arte! 
Um beijo de leve na alma. 
Que serenidade.



Eis que ouço, vejo e escrevo junto. 
Porque no fim somos nada dentro de um eterno Tudo.


Ela é assim

Está na terra,
Onde se perde
Entre grãos e poeiras.

No céu
Com as brisas do vento.

No ar,
com os efeitos soAres.

Nas casas
Nos mares
Nos castelos
Em mim.


E nas ruas sem fim...


Está em tudo
Pois que tudo
Tem nada e tem um fim.


Ela está onde alma está.
E a alma
Está em tudo
Pois é um eterno
Um contento
Um adentro
Firme e sereno
De mim.

Por Vanessa Vieira

Anoite




Vem noite
Traz contigo,
em vento,
a nuvem
do aconchego.
E leva com InPulso
O medo.

By Vanessa Vieira
Arte de: Irina Dobrescu

Boa noite 

ResSinto


Seguindo a leitura de Fernando Pessoa com Carmen Silvia Presotto,

Se escrevo o que sinto é porque assim diminuo a febre de sentir. O que confesso não tem importância, pois nada tem importância. Faço paisagens com o que sinto.. Faço férias das sensações.

Fernando Pessoa feito Bernardo Soares em O Livro do Desassossego, Companhia das Letras, 2011, p.56.

Que poesia esta de Fernando Pessoa.




ResSinto

Estou dentro e fora
Do sentimento que sinto
E estando nesse vai e vem
é que me pego
Sentindo.

...


Amo com alma
com sentido
porque vou e venho
E indo e vindo,
Escrevo
dissolvo
componho
"rebanho"


Sou estranho
sinto.
mas ainda assim
sinto
diminuo
e ResSinto.

(...)

Pessoas...

Por Vanessa Vieira
Imagem: Costa Pinheiro, "Fernando Pessoa - Heterônimos" Óleo sobre tela (1978)

A ponte



Muito se diz sobre as pontes
Uns ressaltam que elas são fortes
Pois estão ali para o que der e vier
Outros dizem que são sábias
pois mostram caminhos...
Há ainda os que dizem
Que elas são passagens
Pois sem elas alguns rumos
Seriam impossíveis serem tomados...
Enfim... Definições de pontes!
diante dessas definições
Só me resta dizer
- Felicidades minha querida Ponte!
E assim te chamo,
pois cumpristes com louvor
Os requisitos de uma bela ponte
És ponte em Vida
Isso poucos conseguem
Você movimenta os caminhos
Leva, traz, transborda
Alegra e se alegra.
Enquanto outras, pontes,
Apenas deixam que
Se vá e venham por elas.
As flores que chegam hoje em tua primavera
São frutos desse movimento
E que bom que seja assim.
Ponte
Movimento
Vida...
Uma bela história
Construída!
  
Saudações, repito, minha querida Ponte!


À Professora Rosane Marendino
uma ponte forte, resistente
 e cheia de  predicados 
que recebi de presente 
nos caminhos da vida!

Língua




Ponto de encontro
Vento alento
Contento
A vida que a vida traz
O tempo que o tempo faz
Esperança de quem faz
Espaço de quem usa
Plano!
A língua é eu sou
E eu sou é o que faço
Com o que tenho.

Divulgo a língua
E escrevo a história
De mim
Em um mundo
onde sou!

Por:  Vanessa Vieira


Versos dedicados à professora  Tânia passos 
e a todos os intérpretes da  Libras em nosso país! 

Fiar

Vejam que encanto esta imagem. Leio, releio
e...
Escrevo!


Lauren Dicioccio


 Fio a fio
Traço a traço
Um passo
Um ato
Uma forma
Um espaço
Um laço
Imagem
retrato
Fio a fio
Fio o fio
que
Me
Traça

...

Destino!



By Vanessa Vieira

CLamor


Cuidou de você
Proveu teu alimento
envolveu  teus queridos  
que a vida levou.
Encantou teus olhos
Com a beleza que lhe era nata.
Você a desejou
E quis inteira pra ti!
Esqueceu que 
 também a outros protegia.
Agora ela está doente
Precisando de teus cuidados
E você, 
satisfeito
esquece que um dia
 foi cuidado 
e amado 
por ela!


A terra pede. Você ouve!?
by Vanessa Vieira



Dueto de amor


 
Sorrateiro despertar
escuro lá fora
pensamentos andantes
decisivos, uma batalha
será travada
golpes baixos, faziam subir emoções
corpos se jogavam de um lado ao outro
vitoriosos gritavam
Ora gemidos brandavam o silêncio
E ora o silêncio brandava os gemidos
eis a guerra
eis a vida que revida na criação
e da criação nunca se finda
eis o amor e a dor
eis o fato
concreto
direto
de um canto
encanto
de amor

In: 29 - 05 - 2012
 Por Vanessa Vieira e Ildo Silva

AcentUação

Gosto da simplicidade
que constitui um fato
Penso em ser o fato 
de uma simples
dimensão de viver.
Não quero ser status, 
contento-me com atos 
que além de fatos
dimensionam razões de um ser 
que está além 
do próprio fato de viver.
De simplicidade em simplicidade
Complexus meu tempo
assim me teço, refaço
conheço, busco
vivo e respeito a vida
minha porque vivo
e a quem mais
tiver que, sei lah ,
de que modos

viver

By Vanessa Vieira
Arte de: Haruo Ohara.

 

Curta também

Blogs parceiros


Instagram @pensamentosvalemouro

Pensamentos Valem Ouro- Todos os Direitos Reservados | Layout por Qeen Design | Programação por Heart Ideas