Saberes




Sei de tudo um pouco
e de mim,
nada...

sou a interrogação 
do mundo que vivo
por isso,
saber tanto
é o ponto do saber nada.

Por: Vanessa Vieira
Imagem: Tarsila do Amaral 

(re)composição


E hoje compartilho um presente, uma pérola, uma alegria que recebi de Joelma Bittencourt, lá no Vidráguas vejam: 


(re)composição



a Vanessa Vieira (pela inspiração):

Vem, tempo
urge novo!

É em teus olhos
que minha voz
se entoca
e troca de pele.


Texto: Joelma B.
Arte: Rene Magritte



O poema que inspirou Joelma foi o HUMANidade, publicado aqui ontem, e lá no site Vidráguas.


Obrigada pelo carinho e pela leitura Joelma. 


Conheçam o blog da Joelma B. Clique aqui



HUMANidade






HUMANidade

Saio pouco da toca
Visto-me  pouco de brilho...

Tenho sede e a franqueza de dizer
Que o tempo em mim pede:

[ Retorne ]

Mas não há forças 
Que atentam ao tempo.

O tempo,
segue
 e minha luta urge

E eu,
Vivo 
Saindo pouco da toca

Sonhando com o dia da troca!

Por Vanessa Vieira
Imagem de :  Luigi Russolo


Escola





Tempo de estar
Tempo de ser

[Movimento]

ConJunção

Dever de arrumar

Pausas, acidentes!?

Sim

Com mixturas de
Amar.

Tempo sem intento

NÃO!

Oposto
Cidadão! 
______________________
Por Vanessa Vieira
Desenho da Priscila

(tentando fazer uma série de poemas para os pequenos. Este é o segundo e o coração de poeta pede mais!) 

Trocas



Preto ou branco?

Azul ou amarelo?

Pequeno!?

não...

Grande!!

Simples, Intensivo...

Escolhas,

Trocas,

Um tempo movimento
Um trato e um destrato.

Uma,
depois outra,

Tico e teco
Troco e sempre

Troca!



Ps.: E as trocas são necessárias à um homem que pensa!
Pensamento troca,  porque pensa!
_____________________
Por: Vanessa Vieira
Arte de Gino Severini



Detenção



E hoje estalo!
Pergunto.
.
.
.

O que é que me atém?

Sinto a questão...
Me insulto!?

Não!
Impulsiono...

A pergunta é minha.
Mas a resposta
de  mim é além!

Grito!
Sussurro...

Mantenho o ponto:

O que é...
O que há...
O que tem:

Que me atém?

Por Vanessa Vieira
Arte de Gino Severini - Blue-Dancer - 1912.


O poema







Era uma vez
um poema
de simples palavras
mas um poema de fato!

tenho-o em rascunho

a letra veio,
a rima veio
veio a mão do poeta
e leio:

Poema,
use bem teu espaço
um abraço!


________________
Por: Vanessa Vieira
Imagem: Irina Dobrescu


(tentando fazer uma série de poemas para os pequenos. Este é o primeiro e o coração de poeta pede mais!)



Veja mais sobre este trabalho em Vidráguas



Quando e se!




Quando o tempo me passa
                                      voou

Quando a água me  toca 
                                  voou

Mas quando o fogo me Chama...

...

Queimo!!

E vivo em Ar(mor)


____________________
Vanessa Vieira
Imagem: Sarolta Ban

Um poeta febril




Queima um corpo

Grita o termômetro:

- 38!

O poeta resiste,
insiste.
Cansa!

Mas nunca desiste

Vanessa Vieira
Arte: Sarolta Ban

 

Curta também

Blogs parceiros


Instagram @pensamentosvalemouro

Pensamentos Valem Ouro- Todos os Direitos Reservados | Layout por Qeen Design | Programação por Heart Ideas