Entre caminhos, tecidos e escolhas...

Passou por aqui um pensamento brando, mas profundo levou consigo a linha que, solta, desfez os pontos de uma longa ferida deixando-me de novo ao revés da vida. Acredito que por isso eu tenha eu seguido vivendo no talvez. 

Me derramei em um complexo cheio de curvas insanas onde as esquinas davam em nós apertados de crueldade e seguia me perdendo num "tempo-tecido" onde o único a bordar era o meu próprio eu... Aquele que sempre existiu em mim e "talvez" eu desconhece, porque "talvez", não me permitia ver nem viver. 

A questão é que, sendo refén, de mim mesmo, não havia refúgio, abrigo onde pudesse correr e me livrar do que quer que fosse. Já que eu mesmo abria e fechava as pontas nos nós e das portas... Mesmo não querendo, eu era, e ainda sou,  onipresente em meus pensamentos motivo pelo qual me lasco, sem piedade nem dó. 

O tecido se esticava e ao mesmo tempo a ferida rompia... Suas consequências eram doloridas e a alma de tempo em tempo se corrompia e triste desfalecia...

 Foi então, que brigando com minhas próprias emoções consegui avistar o início de um novo nó. Sim, Pois abrindo ou fechando-os era na cegueira que os fazia! Pois foi ali, que encontrei a linha, chamada escolha. Antes de começar a fiar ela me olhou com seu tom mais investigativo e quando se pôs a entrar na agulha falou-me adeus e aos berros me disse -"sou exclusivamente sua!!"

Tudo congelou na teia, até mesmo a abertura na ferida. O eu, que me pertencia e que "talvez" eu ainda não conhecesse me olhou com um ar assustado fazendo-me  perceber que ele carregava mais medo do que eu pensava que sentia.

Medo!  Me-do! A grande palavra que nos põe a viver no complexus do talvez,  imaginei... 

Imaginei! Mas não  pense que mudei, ainda estou aqui olhando para aquele "eu" e ele continua paralisado dentro da teia. Mudança não se faz de uma hora para outra. Ela  também é um estado e, também, requer uma teia.  Precisa ser tecida. |talvez|

Agora ando entre teias distintas. Vivo entre o talvez e a mudança. Criando e desatando nós, fiando sem parar um  tecido chamado vida. A ferida, ainda está lá e aqui, mas aos poucos tenho conseguido curá-la. Hoje com mais cuidado e sem deixar soltas linhas que possam ser, de repente, puxadas. Descobri com a mudança que assim é preciso fazer. 

Porque assim, viver precisa de cuidados. E deixar linhas soltas é o primeiro passo para "talvez" se deixar de viver! 









Comentários
12 Comentários

12 Comentários:

  1. Que delícia de texto!!! <3
    Saudade de passar por aqui!!

    Bjs!!
    Livre Leve Livro

    ResponderExcluir
  2. Que texto mais lindo Vanessa, fiquei encantada.
    Beijão, www.desapegaadri.com

    ResponderExcluir
  3. Olá!

    Que texto maravilhoso! Um prazer visitar seu blog!

    resenhaeoutrascoisas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Olá, Vanessa. Adorei o texto, realmente devemos viver com cuidados, mas sempre aproveitar o máximo que puder!
    Beijo,
    http://www.pactoliterario.com/

    ResponderExcluir
  5. Amiga eu gostei muito do seu texto.
    Meus parabéns. Eu queria poder escrever assim sabia?
    Mas eu não tenho esse dom como algumas pessoas tem.
    Mas é um prazer ver aqui em seu blog. Sucesso sempre viu?!

    http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2015/08/resenha-herdeira-de-helzius.html

    ResponderExcluir
  6. Oi Vanessa... que texto incrível!!!
    Amei de verdade!!!!


    beijos
    Mayara
    Livros & Tal

    ResponderExcluir
  7. Oii!

    Parabéns! Seu texto está sensacional, adorei a forma como você usou as metaforas para colocar para fora o que está sentindo, faz muito tempo que não faço isso.
    Continue postando assim :D


    Beijinhos,
    www.entrechocolatesemusicas.com

    ResponderExcluir
  8. Oi Vanessa, parabéns pelo texto ,está maravilhoso!

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir
  9. Parabéns pelas linhas escritas Vanessa.
    Gostei bastante. Acho que muitos de nós se identifica com ele. Quase todos tem medo de mudança.
    Parabéns! Continue escrevendo.

    LETRAS COM CAFEÍNA

    ResponderExcluir
  10. Não dá para mudar de uma hora para outra, mas posso te dizer que dá para se encantar de uma hora para a outra e foi o que acaba de acontecer... Virei sua fã! Quero novos textos
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Oie, tudo bom?
    Parabéns pelo seu texto. Concordo que a mudança deve ser feita de forma crescente com vários elementos. Continue aprimorando sua escrita.
    Beijos,
    http://livrosyviagens.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Trate as pessoas da forma como devem ser. E você as ajudará a se tornarem aquilo que elas são capazes de ser (Goethe)

Obrigada pela visita!
www.pensamentosvalemouro.com.br

 

Curta também

Blogs parceiros


Instagram @pensamentosvalemouro

Pensamentos Valem Ouro- Todos os Direitos Reservados | Layout por Qeen Design | Programação por Heart Ideas