Resenha: A guardiã (Diários de Extermínio) - B.R. Peruzzo

Título: A Guardiã - Diários de Extermínio
Autoria: B. R. Peruzzo
Editora: Arwen
Páginas: 212
Idioma: Português
Ano: 2015
ISBN: 856-8-2552-80
Sinopse: DESCUBRA, SOBREVIVA E DESEJE. O crepúsculo de todas as batalhas se dá nos momentos mais tenebrosos que existem. Assim como as noites mais obscuras, o mundo é um lugar sombrio, cheio de segredos. Quando o universo estava afundando em seu momento de maior lástima, os Guardiões surgiram para trazer o alvorecer, a luz e a paz de volta ao universo, ao nosso mundo e à Terra. Meu planeta natal, Zodark, foi destruído pela ganância de meu povo, e a Terra está prestes a ser destruída também, pelo mesmo motivo. Mas eu não permitirei. Meu nome é Lilian Moore, eu sou uma Guardiã, a que salvará a Terra e Zodark. Pelo menos é isso que eu espero! A Guardiã traz uma história épica, cheia de ação, aventura e ficção. Uma distopia feita para agradar a todos os públicos.


Em A Guardiã, somos inseridos ao diário da personagem protagonista, Lilian Moore. Esta ficou em um orfanato até completar a maioridade, 18 anos, carregando a lembrança da perca dos pais em um acidente fatal e o desejo por recomeçar sua história.

Ao mudar-se para o Rio de Janeiro e ingressar na faculdade, em meio de se acostumar-se com a rotina e a nova vida, ela conhece Daniel, um colega de sala pelo qual acaba atraída e apaixonada. É, meus caros, mal sabia que ele transformaria sua vida. Em uma noite na qual eles combinam de se encontrar para estudar, uma sucessão de fatos levam-na a conhecer uma nova realidade, totalmente diferente da que estava acostumada e que a levará a descobrir o peso de ser uma Guardiã. Ou melhor, o que é ser uma.

 "Os Guardiões evitavam até mesmo a troca de olhares. Talvez toda aquela determinação que vemos nos filmes ou lemos nos livros de pessoas indo felizes e encorajadas para a batalha seja mentira... Nós estávamos apavorados."

Recém saindo de uma excelente obra distópica, o qual tem sido o único gênero que li nesse primeiro mês do ano, iniciei a leitura repleta de expectativas. Diria que foram saciadas, mas sem aquela "surpresa" ao que esperava, como tenho tido com muitas obras que tenho lido.

O autor realmente se supera quanto ao enredo. Há uma série de elementos surpresas que nos deixam cheios de curiosidade pelos fatos que ocorrerão posterior a tal. Dá aquele desejo por saber como ele desenvolverá, não se perdendo na trama e colocando fatores atrativos e surpreendentes. Achei de interesse o mundo de Zodark e toda a história envolta, onde, particularmente, tive um apreço especial pela forma com que ele a constituiu e transmitiu para nós, leitores.


Mas, vejo um ponto negativo em algumas partes da obra. Senti falta de uma melhor conclusão, especificamente que não houvessem sido tão objetivas, porque soa como "vou concluir assim para não me estender muito", enquanto eu, como leitora, realmente esperava que este se estendesse. (Não que o fator apontado desmereça a obra, que é, realmente, muito bem desenvolvida.)

"Nenhum deles imagina o que aconteceu na Terra, mas eu sei.
Em alguns momentos me vejo arrependida por ter feito aquilo, não sei bem por que; talvez seja por causa do que perdi e do que descobri no processo. Contudo, quando olhava para toda aquela gente, vivendo de um eito que eu sempre quis mas nunca consegui viver e nem sei se um dia conseguirei, graças àquela decisão; tendo as bênçãos que são a vida e a liberdade de escolha, o arrependimento passa e eu me sentia até leve [...]"

Um ponto que ressalvo e foi um diferencial que me trazia aquele sentimento nostálgico de todo leitor é o fato de haver citações à séries, filmes e similares durante fala dos personagens; e o evidente sarcasmo e ironia que eu costumo amar quanto posto e que o autor não pecou no uso, como às vezes pode ocorrer, quanto a identificação do leitor, por exemplo, de ser um sarcasmo.

Eu acho empolgante o misto de características presentes na  trama, havendo um enlace entre a ação, a comicidade, personagens construídos de forma cuidadosa e bem caracterizados. Eu indicaria, sem dúvidas, a obra. É uma leitura atraente por seu caráter distópico e como apontado, pelo mundo fictício muito bem desenvolvido, com um enredo graciosamente envolvente!


3 Comentários:

  1. Oi!
    Adoro disto pias e fantasias então já me atrai pela obra. Mesmo a conclusão não tendo te cativado com um bom desenvolvimento, caso eu leia espero gostar.

    Beijos,
    Andy - StarBooks

    ResponderExcluir
  2. Olá, tudo bem??
    Confesso que quando vi essa capa jamais imaginei que fosse algo distópico, estava mais para fantasia. Eu amo distopia e fiquei curiosa com o enredo. Vou procurar mais saber da obra para poder ver se pretendo ler ou não... eu gostei muito da capa, mas ainda acho que não parece distopia rs... de qualquer forma que bom que curtiu a leitura. Xero!

    ResponderExcluir

  3. Olá, comecei a ler essa obra mas ainda não consegui finalizar...

    Gostei do início do enredo e fiquei curiosa, preciso retomar a leitura.

    Abraços

    ResponderExcluir

Trate as pessoas da forma como devem ser. E você as ajudará a se tornarem aquilo que elas são capazes de ser (Goethe)

Obrigada pela visita!
www.pensamentosvalemouro.com.br

 

Curta também

Blogs parceiros


Instagram @pensamentosvalemouro

Pensamentos Valem Ouro- Todos os Direitos Reservados | Layout por Qeen Design | Programação por Heart Ideas