Minha casa poema VIII

Minha casa poema, poemas, Vanessa Vieira , Versos, Poetas contemporâneos, poesia, poemas
 

A música do vizinho...

 
A música do vizinho 
Incomoda  

A música vizinho
Alegra
 
A música do vizinho 
faz com que meu sangue 
ferva de ódio...
 
A música do vizinho
Pega-me de surpresa
quando a aprecio!
 
A música do vizinho
atormenta minha paz
naquele dia em que a alma 
pede silêncio!
 
A música do vizinho
invade minha casa 
e minha privacidade!

E eu, que tanto aprecio a música
Enraiveço-me quando a vejo sendo 
usada com leviandade...

Não tenho direitos
sobre os sons quem adentram
minha própria casa...
 
Chego a pensar que em breve 
voltaremos a viver na selva, 
onde o salve-se quem puder
Volte a ser palavra de ordem...

E afinal, 
para que serve a humanidade!?
 
 
 
 
 
Não deixe de se inscrever
👇👇
 
 

Postar um comentário

22 Comentários

  1. Que pena quando os vizinhos não respeitam aos demais! Linda poesia! beijos, chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, minha querida!
      Muito grata por sua visita! Beijo grande!

      Excluir
  2. Olá, Vanessa!
    É verdade. Muitas vezes temos que levar com a música desagradável aos nossos ouvidos e muito alta, dos nossos vizinhos. Enfim...há muita falta de respeito e de civismo.

    Votos de uma excelente semana!

    Beijinhos!

    Mário Margaride

    http://poesiaaquiesta.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, poeta!!! Precisamos melhorar!!
      Grata pela visita!

      Excluir
  3. Um poema muito bem escrito.
    Há vizinhos que não são bons vizinhos.
    Muito obrigada pela visita
    Boa semana para você.
    Beijinhos
    :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Haja paciência não é minha querida!?
      Gratíssima pela visita!

      Excluir
  4. Bem difícil quando as atitudes dos vizinhos invadem a nossa privacidade.
    Belíssimo poema.
    Adoro divagar pelo seu brilhante cantinho.
    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Põe difícil nisto, minha querida!! srsr
      Que coisa boa saber! Muito grata por teu carinho! <3

      Excluir
  5. aqui o q incomoda mais é a mudança diária arrastando móveis nas 24h. por sorte aqui é quieto e as paredes são grossas. lindo poema. beijos, pedrita
    http://mataharie007.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Animado o teu vizinho! rsrrs
      Fico feliz que seja quieto que continue assim! <3

      Gratíssima pela visita, querida!

      Excluir
  6. Adoreiiiii, seus versos!!
    Moro numa vizinhança extremamente silenciosa, eu gosto disso, ainda bem que raramente algum vizinho coloca musica alta, porque senão, por certo, eu teria que me mudar para o meio do mato em busca de paz . Respeito é tudo, não é mesmo, Vanessa? Infelizmente nem todos tem e sinto que apesar de ter morado muitos anos da minha vida em apartamento, vivendo tais incômodos, sabendo na pele como você se sente, eu sofreria muito se tivesse que voltar a morar em um.
    Doce dia querida, beijos
    Valéria

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá minha querida! Eu sempre morei em lugares calmos, mas depois que me casei só encontrei lugares "animados"!
      Tenho fé que reencontrarei a paz dos lugares sossegados! rsrsr

      Muito obrigada por sua visita! =)

      Excluir
  7. Vanessa querida, sempre temos as duas experiências, uma boa, e a outra... dá vontade de invadir a casa do vizinho e rodar a baiana! Tínhamos um vizinho que tinha insônia, levantava muito cedo e colocava Beethoven, adoro os clássicos, escrevo com alguns deles, tranquila, mas não para acordar!! Acordo tranquila, quieta...
    Adorei teu belo poema, mas fui descendo e tive de rir, amiga! Imaginei a situação!!! É triste, sim!
    Beijinho, uma feliz quinta feira!
    Adorei tua visita!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Tais! Fiquei aqui imaginado como seria acordar um clássico. srsr Posso imaginar a situação, mas confesso que seria melhor que acordar com o Funk ou mesmo este sertanejo sofrido!!!! Que vontade de correr! (risos)

      Gratíssima pela visita querida! =)

      Excluir
  8. Olá Vanessa,
    A humanidade, infelizmente, está em vias de extinção :(
    As pessoas só ficam satisfeitas com a tristeza do vizinho, não são capazes de se alegrarem com as conquistas do outro.
    Muito profundo este seu poema, inteligentemente bem escrito, gostei imenso!!!
    Fique bem, beijinhos ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Isamar, tenho percebido isto sabia!? Parece que para ser feliz é preciso afrontar o outro, desrespeitá-lo. Muito triste!

      Excluir
  9. Gostei do desabafo poético.

    A música é alegria, mas a invasão constante é pesadelo.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade! Na medida certa tudo parece ser saudável não é! srsr
      grata pela visita! =)

      Excluir
  10. Ai, sofro com o mesmo problema... tenho um vizinho barulhento que, felizmente não mora aqui, é uma casa de campo. Mas quando ele vem, não consigo sequer ouvir minha TV. Poema muito pertinente!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eita, querida! Estes são ainda mais complicados. Alugam a casa e esquecem que há pessoas que já estavam ali. Fogem totalmente da realidade do respeito.

      Beijinho! Muito obrigada por sua visita!

      Excluir
  11. Oi, Vanessa!
    Olha, já sofri muito com um visinho que ligava o som do carro de sexta a segunda.
    Ainda bem que ele mudou e agora é silêncio total.

    Votos de um um feliz fim de semana .
    Beijinhos e meu carinho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que coisa boa não é Fatyma! Aproveita bastante o silêncio! Está cada vez mais raro.

      Muito feliz com tua visita! =)

      Excluir

Trate as pessoas da forma como devem ser. E você as ajudará a se tornarem aquilo que elas são capazes de ser (Goethe)

Obrigada pela visita!
www.pensamentosvalemouro.com.br