Um presente à caminho...


Bom dia...

Está perto...
Em poucas horas
um novo presente receberemos...
Já sei o que será e, por isso, conto...
Será um livro...
Um livro novo, lindo
Porém, suas páginas
Estarão em branco...
Será o melhor presente
Que receberemos durante
Todo o ano...
Por que seria o melhor presente
Um livro em branco...
Sim, eu conto
Porque será nele
que você vai continuar
escrevendo sua história...
Neste livro terão 365 páginas
e a cada dia você registrará nele
um pedaço de sua história...
Viu como ele é importante...?
Agora,
Aproveite que ainda dá tempo
e dá uma lidinha no livro
que escrevestes durante 2011
pense, repense....
Assim poderás escrever melhor
em 2012...

Desejo a todos um lindo amanhecer
e um maravilhosos ano de 2012...
Que muitas histórias possam ser lidas e relidas
e escritas por todos nós!


Abraços!

Vanessa Vieira

Imagem: Magritte

A casa da imaginação


 Jacek Yerka


Eu queria uma casa que tivesse um quarto enorme, onde eu pudesse colocar todos os livros que por algum motivo me interessaram... Romance, Filosofia, Poesia, Educação, Conto, Sociologia e outros tantos quem nem sei mais... Mas que fossem todos, até aqueles que os nomes me fossem interessantes... “A volta dos que não foram”, por exemplo.... 

Neste quarto teria uma escrivaninha, um computador, várias estantes para comportar todos os livros... Um sofá cama... Sim, um sofá cama. Leitura tem que ser agradável até mesmo a posição... Ora essas!
 As cores dele seriam laranja, azul, verde e amarelo, porque assim seria um quarto alegre e prazeroso... Seu nome seria Biblioteca de Vanes

Do lado da Biblioteca teria outro quarto, mas este teria uma televisão enorme. Não, televisão não... Teria um telão bem grande! Enorme... E um projetor com um notebook conectado. Teria também um sofá bem confortável e grande onde várias pessoas pudessem sentar e deitar se quisessem. 

Perto do sofá teriam algumas estantes, de vidro, bem cheias... De que? De DVDs... Filmes de todos os gostos. Os meus gostos, é claro! Seria essa minha videoteca, lugar onde eu assistiria vídeos antigos, bem antigos, que por conta da idade não pude assistir quando foram lançados... Seria uma maravilha...

Ali bem pertinho teria outro quarto, esse seria forrado de madeira até o teto e teria espalhados por seu espaço um teclado, um violão, talvez um piano, uma flauta, um pandeiro um rádio, Ops... Um toca CDs... Ou melhor... Um aparelho de USB conectado à uma caixinha de som bem potente. Assim, eu poderia ouvir e tocar as musicas que tocam sempre meu coração e aprender músicas novas também...  Uma bela sala de músicas não?

Bem, um pouco depois deste eu teria um quarto pintado de preto, com algumas cadeiras e um palco de 50cm, mais ou menos e, separando as cadeiras do palco, uma cortina vermelha bem grande... Isso mesmo uma sala de teatro... Lá, eu poderia declamar as poesias que trago na memória, decorar outras, fazer algumas apresentações familiares e tantas outras coisas possíveis em um tablado...

Além desses quartos, em minha casa teria uma cozinha, um, ou uns, banheiros, eu preciso só de um mesmo... Um quarto, uma sala de estar, que na verdade nem sei bem para o que serve, mas em fim... Teria uma lá... Também,  uma sala de jantar com uma mesa e quatro cadeiras... Sim, quatro! Porque eu quero e ponto.

Mas por enquanto, essa casa não vem e penso que vai demorar um pouquinho, embora não seja impossível. Eu acredito na realização de um sonho bem sonhado... 

Mas enquanto ela não vem eu fico com este quartinho de 3 por 2, que divido com a minha irmã... E sabe de uma coisa, pensei agora, talvez eu não precise de tantas salas... Eu consigo guardar tudo aqui neste quartinho.... 

A biblioteca, a videoteca, a sala de música, o meu palco... Tudo funciona aqui... De outro jeito e de outra forma, mas funciona. Então., talvez eu precise apenas deixar que minha imaginação brinque um pouco mais... Sem falar que com tantos quartos e tantas coisas dentro dos quartos eu estaria ajudando a destruir mais um pouquinho o meio ambiente e eu me sentiria em péssimo estado quando eu me desse conta disso estando com tudo montado... 

Pensando bem, é melhor eu ficar com este quartinho mesmo. Será melhor, para mim e para os outros que eu nem ainda conheço.

Ixi... Estou entrando em um circulo vicioso... Acho melhor eu sair daqui... Se bem que seria legal ter uma sala com malabares, trapézios.... Ops... Tá vendo... Essa imaginação me pega de jeito... 

Ei... Eu seu que circulo vicioso é diferente de circo... Mas e daí? As palavras são minhas eu penso do jeito que eu quiser não é verde?

Ohh... Deixa eu ir embora porque a realidade está me chamando. Até já estou conseguindo ver os carros e as pessoas na rua por onde o ônibus está passando...
Isso é um verdadeiro sinal de volta ao real...
Pode ser ruim ou não... Mas vou lá ver como é que será viver esta realidade. Tudo bem? Depois eu volto para contar como foi...  Ih calma...
 Acabo de ler ali na entrada daquela casa:
- Lava-se roupas....
Oh Não! Vai começar tudo de novo...

Flor de VentoDia

Ai Shinohara é uma pintora japonesa.

 O dia nasceu...
E aos poucos vai morrendo
E eu dentro dele 
Fico assim:
"Não sei de onde venho"
Nem para onde vou...

Simples assim...

Como uma flor 
                    que viaja 
                              nas asas
                                     de um vento
                                                  perdido...

Eu sou o vento 
                  
       e a FLOR.


By Vanessa Vieira

AOS LIVROS

By VAnessa Vieira




E assim chegastes
Trazendo-me poesia...
Trazendo-me saberes que desconheço
e que, talvez em parte conhecia...
Enfim junto contigo vieram as alegrias
Alegrias do saber do conhecer...
És livro, és história !
História viva que está pronta
para ser recontada diante dos meus olhos...
Quem lê um livro recria histórias....


'Dobras de um tempo"




Clique na imagem para ampliá-la



Um Feliz natal 
à todas as folhas de minha árvore!!!!

Transmitindo leituras e escrevendo com luz

Ando por ai, compartilhando leituras

A ROSA DRUMMONIANA

Vgvieira - EU


Eu a Rosa e o pequeno Príncipe.

Hoje me senti um pequeno príncipe...
esta rosa encontrei em minha rua...
Estava lá escondida, no meio de outras folhas
Que estavam, também à beira do caminho...
Olhei... E mais um vez...
e foi impossível não registrar...
Que belo presente me deu hoje a Natureza!!!


By Vanessa Vieira
Imagem: Vanessa Vieira

Em algum lugar... Do passado!















Entrei hoje no túnel do tempo
Do meu tempo...
Me revi e a outros também...

         E Todos traziam consigo
         Versos, pensamentos, reflexões...

Voltei...
E voltando puder ver coisas
E pessoas que naquele tempo,
Naqueles dias,
Não encontrei...
Porque era ainda tempo....

                                                      Relembrei, Revivi...
                                                      E cheguei ao que procurava...
                                                      Foi bom encontrar
                                                      E foi boa a procura!
            Então voltei.
                         E percebi na volta,
Que mais rápida foi que a a ida,
Que o regresso é necessário
Em alguns momentos da vida...


Voltar, rever, reviver...
É bom!
Traz fôlego, lembranças, ânimo...
                                            E mais...
                                                       Pois quem vai
e volta
                                                                         Vem cheio de transformações!

By Vanessa Veira in 21/12/2011
(Ps.: Voltei 19 dias no tempo!)




Voos de um outro pássaro

google imagens

Leio e sinto...
Releio e ouço...
Gravo e escrevo...
ConVerso com os versos....

 E estes são os versos que leio:

"Ah! Esses tempos indefinidos que tentam me aprisionar
Buscarei bons tempos
Não quero atrofiar minhas asas"
(Carmen Presotto in Dobras do Tempo)

E isto é o que penso...

Como é fantástica a magia da palavra bem usada... 
Tempo indefinido, prisão... Desafios que nos poe a vida....
Busca por bons tempos... Nosso destino
Não atrofiar as asas... Nosso dever...

                        E continuo pensando...

Agora, sobre o meu voo, sobre o meu pássaro,
Sobre o que sou e o que tenho feito com meu dever/destino...
ConVerso agora com meus sentimentos,
Pois talvez eles possam dizer 
A identidade do pássaro
Perdido que sou....

By Vanessa Vieira


E tudo isso, me lembra Del Picchia...


Delícias de um sonho

Um conto... Um sonho... um início...


Chagall




Naquele dia, como todos os outros, sai pela manhã para caminhar à beira do lago. Essa era a minha rotina, minha sina, meu Eu. Dia após dia, o mesmo trajeto, as mesmas paradas e nada… Nada igual.
Mas, naquele dia, foi diferente e mais ainda… Era início de inverno e a brisa gélida da manhã me beijava os lábios. Quanta emoção!

O lago também estava diferente… Sereno.

Caminhei, caminhei… E cheguei ao meu encontro, ao lugar que diariamente sentava-me para descobrir que tesouro me reservava a beleza do dia. Porém, naquele dia, havia lá, no meu lugar um homem. – Justo no meu lugar???

Fiquei triste, enraivecida e o escambau…


SOBRE MIM



E há quem saiba mais sobre mim,
Do que eu mesma?
Quem, além de mim,
saberá mais sobre as coisas que sinto?
Por isso relembro Pessoa

"poucos sabem qual é o rio da minha aldeia
E para onde ele vai
E donde ele vem.
(...)

E há como ser diferente?
Reflito...



AMOR?



Salvador Dali: The Labyrinth

E agora essa dorzinha medonha...
Pequena...
Que vai,
Aos poucos
Se fazendo grande.
Por isso amedronta...

Por que essa dor??
Por quê?
Dor de amor... ?
E o que será isso???
Não lembro ter sentido...

Só na Valsa
Onde Casimiro dizia:

“Quem dera
Que sintas
As dores
De amores
Que louco
Senti!
Quem dera
Que sintas!...
- Não negues,
Não mintas...
- Eu vi!...”

Que dores??
Que medos?
E que loucuras serão essas?
O Que será isso?


By Vanessa Vieira


ComPosição




Ainda não aprendi a lidar
Com todos os sentimentos que compõem
A música que sou...
E talvez seja essa uma das causas
Do meu sofrimento.

Sou melodia sendo composta
E apresentada em concomitância.
E por não saber lidar com tantas
Notas, compassos e tempos
Fico na ponta dos pés
Deslizando-me
Com cautela
Sobre as pautas
Para que não se destoe a harmonia...

Sim,
Na ponta dos pés...
E sei que há passos possíveis
Para que os pés toquem todo o chão.
E sei também que as pontas dos meus pés
Já quase não me sustentam...

Mas continuo deslizando sobre elas
E me obrigando a ser bailarina cautelosa
Sobre minha vida sinfonia...

Por que ando escolhendo
O sofrimento para me compor?
- Não sei...
Por que me obrigo a ser bailarina ponteira?
- Sei menos ainda...

Porque...
Mesmo sabendo disso tudo...
Continuo na ponta dos pés...

Uma coisa é fato!
Um dia a música acaba de ser composta,
Um dia a bailarina se aposenta
E um dia, o corpo se cansa deveras!

Assim, se estes três dias
Resolverem se juntar em um só
Estarei feliz.
Mas se não...
Tenho certeza que outras formas de
Compor, dançar e sustentar
Se farão disponíveis...

Eis o que me diz
O que maestro
Que me compõe!

By Vanessa Vieira

imagem: Marta Valério

 

Curta também

Arquivo do Blog

Blogs parceiros


Instagram @pensamentosvalemouro

Pensamentos Valem Ouro- Todos os Direitos Reservados | Layout por Qeen Design | Programação por Heart Ideas