ObjetiBeijo




ARdenTe
EnVoLventE

O Beijo que é assim, (!)
Chama!


Vanessa Vieira 
Imagem: Google imagens
*Ao dia do Beijo!

Leia!



A roda





Esquecida nos jardins,
Colocada de lado nos campos
E nos parques,
levou um adeus!

Dona é de um belo movimento,

E dona já foi de grande contento.


Não parem o movimento!!!

Rodem a roda!
Deixem-na  brincar!

Circulem caminhos,
Pois roda
precisa girar!

4º poema da série Poemando com Pequenos -
Vanessa Vieira,
A arte é de Milton da Costa.

SerAmor





Amo o que ama
com chama
com sangue
e o que
feito brisa me ama

desejo e
sublime tempo, amor
que tudo enaltece

com os pés,
com as mãos,
com as pernas,
com a pele

amo e…
de todo seu fruto
sou o fervor
no ritmo de Eros,
o serAmor!



Por Vanessa Vieira
Arte de Canova

Versos publicado também lá no Anáguas - Grácias Carmen Silvia Presotto pela sua Companhia!


Causo





Coração aperta o peito
Pulmão chia
E a vida solicita o arMamento
Do vento!

Vem!!!!!!!!!


Por Vanessa Vieira
Google imagens

A poesia








Havia pouco
tempo
Havia pouca
calma
As horas
também eram poucas

Mas a poesia...
Ah a poesia

parou o tempo
Reanimou a cAlma
E encantou as horas!


Vanessa Vieira
Imagem: Google

Poetamigo


E hoje compartilho com vocês um poema do Poetamigo Edson Felizardo. Um poema em resposta e cumplicidade à uma certa dorzinha que andei tendo.




O dente doente do ente.
dói de tão doído
parece até que o dente
é que foi mordido

A boca tem ouvido aqui
os olhos que dizem do fato
das orelhas provarem olfato
E se o nariz tiver mais tato.
as mãos falarão por si

será que sua dor de dente
lembra desse poema latente
e some de repente?
 ! (poema ruimprudente)


O meu poema é este aqui:


Ente
Um dente doente 
e descontente...
Dor latente
E inconveniente...

Ente,
dentro do juízo...
um causo um conto
um tudo....

Ente, 
Para quem tem dente
doente!

Por Vanessa Vieira 
 imagem é de Dali


Rapto Seguro!




Raptou-me o poema
Veio de leve,
Chegou perto 
Deu-me um susto!
Agarrou-me pelos braços
Imobilizou-me as pernas
E,
Emaranhou-me em suas garras...

Ahhhhh!!!
Agora sou parte de suas entranhas!
Sou poetaema de um poema! 
Minha vida é um verso!

Poema : Vanessa Vieira
Imagem: Copia de un fragmanto de El Rapto de Psique de Bouguereau - Randjel Spasic

Dores






Dor sequênciÀdores
Vem uma depois outra
E vamos daqui pra lá
dEláPracá!
Perna, dedo, mão
E de novo Dente!
DeuTudo
DorMEnte!

Por Vanessa Vieira


Vale de um pensar





Meu pensamento é um vale ao vento
diálogo com o tempo,
erosões da vida

Minhas montanhas
são férteis e fortes
mas também, fúteis
e quase inúteis

Na verdade,
tudo que em mim se completa
agora é um impulso que se move
efeito refeito

sou meu meu vale pensamentos
meu próprio tempo…
é assim, um nada sem modos!

Por Vanessa Vieira
Imagem: tumblr


 

Curta também

Blogs parceiros


Instagram @pensamentosvalemouro

Pensamentos Valem Ouro- Todos os Direitos Reservados | Layout por Qeen Design | Programação por Heart Ideas