Pecadhumanos


Distantes 
e ao mesmo tempo presentes
Mesmo quando 
Não nos apercebemos lá estão
Firmes!!!
Pecados...
Sete...
Sete pecados...
Permeiam a vida 
De nós que humanos 
Somos errantes...
Se deixado de lados (por alguns)
Criam arrogância da supremacia...
Se visto e praticado por outros 
Criam a Ignorância do preconceito.
Humanos Somos, 
Somos humanos!
E por isso pecamos...
Mas há que se saber 
Que pecados além de sete
Estão e sempre estarão ligados 
Ao que se acredita sobre a vida!
E ai há que se ter respeito...
A ausência de disso...?
O Oitavo pecado!
A Desumanidade!

Vanessa Vieira in Sábado Poético Sete pecados Capitais! (29/10/11)

Adjetivos de mim


Por vgvieira
Andei pensando sobre o adjetivo, aquele que fala da qualidade, do estado e da origem... E embora tenha sido involuntário me indignei... Quais são os meus adjetivos? Por onde andam minhas qualidades? Qual é o estado de onde vim?
E pensei mais... Pensei que adjetivo embora pareça ser uma coisa simples, mais uma das regras da grande gramática... Embora seja realmente isso tudo ela pode e deve ser mais.
Pensar adjetivo é pensar em si, em dó, em ré, em mi em fá... É sentir a harmonia entre as notas que se sucedem na melodia que se chama vida.
Utopia!? Talvez, mas prefiro acreditar que seja um jeito melhor de pensar a vida. Até porque... Existe vida sem pensamento sobre a vida? Creio que não.
Agora falando a verdade, para terminar esse papo... Gostei de pensar sobre o adjetivo, essa reflexão me faz perceber a recorrente ideia que diz da vivacidade da gramática... Sim ela é morta, mas sim, ela também é vida. E assim é porque somos nós que a fazemos, pois nós somos os agentes da vida e do tempo. E urge nos apercebermos disso!
E assim, com tantas características concluo dizendo dos adjetivos de mim... Que tenho tido a qualidade saudável do estado de indignação, e nela vivencio-me em busca das origens do grande adjetivo que sou.

Ass.: Um adjetivo em construção
Búzios 20 de outubro de 2010

Os sapatos do poeta




 Há que se ter sapatos...
Assim, se estará pronto 
Para partir...
E andar pelas ruas da vida
Enfrentar dilemas!

Partirei de mim
Nas ruelas do destino
Rastros de cometa

A fim de encontrar o eu
Que perdido ficou
Nos mundos países
Que um dia, em sonho (ou não), fui

A correr veloz
Atropelo um anjo atroz
Asas sonhadoras
Que de tão sonhadoras
Em grande sonho me fez!

Hoje sou homem-sonhador
Porque fui sonhado!
Sonhei marchar firme
Sobre a ponte dos sonhadores
Hoje pesadelos

Que mesmo sendo pesadelos
Me movem....
Por que são os gritos
Que me levam à vida!

Vou de encontro à vida
Botinas com asas leves
Sina de poeta
Andar...
Andar...
E andar!

E ao fim...
Tirar as botinas
E descansar.
De preferência numa varanda
Tomando água de coco!!!

Conversa poética sobre os sapatos de Van Gogh 
Grupo O grito - Facebook 






Ai a beleza...


Algo entre o ser e o não ser...
Uma visão que deslumbra
Porque não é concreta....

Algo que vem dos olhos
dos sentidos...
Dos sentimentos...

Algo que só se explica
Pelas percepções da alma
By Vanessa Vieira in sábado poético - Poesia

Sem nome!


Conto
Crônica...
Na verdade era pra ser poesia....

                                      Ps.: Eis os ventos do poeta!

Vanessa Vieira

EntreGêreros - Conheça!

Ontem tive o prazer de ter alguns textos meus publicados no blog EntreGêrenos, uma iniciativa por demais interessante da  Ianê Mello, companheira da blogosfera com o blog Diálogos Poéticos, companheira nos grupos do Facebook.
Faço questão de convidá-los a conhecer este grupo que se inicia com toda coragem, vontade e desejo de ver os versos dos poemas, cantados pelas notas desta pequena telinhas que vês...  E mais que isso, certos de que os versos nunca se calarão... 
Os gêneros se misturam, mudam os poetas, mundam-se até mesmo os versos, mas na essencia... Sempre continuam lá... versando... encnantado... dando vida àquela que chamamos vida! 

Passe por lá, conheça o blog e divulgue também seu trabalho!!!

 Para ler meus textos clique aqui
Para conhecer diretamente o blog clique aqui

Poeta-Poesia...


Um pensamento incontido
Uma palavra dita com a voz do coração
Uma vida que se cria dentro de outra vida!
Um ser que constitui-se de construção...

O Poeta...
O ser pensante que se "contenta" com a sua inquietação.
E por ser tão incontido consegue fazer claras e audíveis as vozes do coração
Se torna então, autor da vida e além de operário,

Éo ser que o Poeta disse
Eestá em construção....

Boa noite a todos e feliz dia do POETA!!!!!!


Minhas "incontenções"
Por Vanessa Vieira


Saudações aos poetas!!!!

O grito



Eita...
Que o silêncio, danado, não permite que ele saia...
Eis o motivo, talvez, de tanta emoção...
Ser querendo ser gerado
E outro (Ser) querendo impedir a geração!!!!
Ciclo???
Interrogação...
Grito (interno)
Revelado pelas palavras
Do silencio...

 

Curta também

Blogs parceiros


Instagram @pensamentosvalemouro

Pensamentos Valem Ouro- Todos os Direitos Reservados | Layout por Qeen Design | Programação por Heart Ideas