Resenha de Olhos de Fogo – Helena Gomes e Kathia Brienza - Livro Nacional.


Os livros, mais que uma forma de conhecimento, incentivo à criatividade e alicerces para a diversão, também servem como forma de entretenimento e conversação. E é sempre muito bom podermos compartilhar nossas impressões sobre a literatura. Isso se torna ainda melhor quando falamos de um livro que gostamos muito ou que aprendemos a gostar com o tempo. A resenha de hoje é sobre um Livro Nacional que aprendi a gostar com todo o suspense que foi se desenrolando através de cada página. Ele é uma mistura não apenas de fatos reais, mas também de ficção, contando sobre a Invasão dos Holandeses na Vila de Tejucupapo, em Pernambuco, de forma bastante inusitada.


Resenha: Olhos de fogo
Capa do Livro - Olhos de Fogo.

Título: Olhos de Fogo.
Autoras: Helena Gomes e Kathia Brienza.
ISBN-10: 8563877097
Ano: 2010 
Páginas: 176
Idioma: Português 
Editora: Escrita Fina

Olhos de Fogo - Em 1646, em pleno declínio da invasão holandesa ao Brasil, holandeses acuados invadem a vila de Tejucupapo, em Pernambuco, quando a maioria dos homens está fora, a trabalho. As mulheres de Tejucupapo arquitetam uma inteligente defesa (fato verídico). Mas, além disso, os habitantes do vilarejo ainda têm que se defender de um serial killer à solta. Fatos verídicos e ficção aliados num suspense emocionante.





Envolvente, surpreendente e com muita ação, aventura e suspense!

Todo o enredo do livro “Olhos de Fogo” escrito por Helena Gomes e Kathia Brienza é baseado na História da Batalha das Heroínas de Tejucupapo, tendo como personagens principais: o holandês, Pim e a índia potiguar, Jussara.

Pim Kiurlings é um adolescente que vive com o pai, Frans Kiurlings, um importante cientista que veio da Holanda para o território brasileiro com o objetivo de explorar e fazer estudos das faunas e floras existentes no Brasil. Em abril de 1646, Pim, Frans e Isabel, uma criada que trata o garoto como um filho, viajam para Tejucupapo sob a escolta de Diogo Venâncio, um senhor de engenho muito conhecido.

Desde a sua infância, Pim sofre com sonambulismo e pesadelos, tais pesadelos acabam se tornando realidade. Entretanto, a única pessoa que sabe dos pesadelos do garoto é a mulher com quem ele tem uma relação muito próxima, Isabel.

Antes da viagem para Tejucupapo, Pim tem um pesadelo em que aparece matando uma garota. E justamente na primeira noite em que ele se encontra no povoado, uma garota chamada Maíra é morta e seus olhos são queimados. O corpo da jovem é encontrado em uma pedra próxima a um rio ao lado de Pim.

Eis então, que Jussara, uma índia potiguar, amiga de Maíra, por ser a primeira a chegar no local do assassinato, duvida da inocência do menino holandês. Como todas as provas levam a crer que Pim não é o assassino de Maíra, Jussara é obrigada a acreditar no garoto. Porém, outros assassinatos começam a ocorrer no povoado de Tejucupapo que até então era pacato. E todos eles possuem as mesmas características: os olhos das vítimas são queimados e os corpos são deixados em uma pedra ao lado do rio.

Muitos moradores da vila acabam associando as mortes ao espirito de Anhangá. Os adolescentes logo se juntam para tentar descobrir o que há por de trás desses assassinatos e isso deixa o livro cada vez mais surpreendente - por conta dos vários suspeitos que vão se apresentado - e com muito suspense - porque o verdadeiro assassino só é descoberto nas últimas páginas - .

Em dado momento da história, Pim acaba sonhando que a vila de Tejucupapo será invadida por holandeses com o intuito de subjugar a população. Essa invasão é marcada para o domingo, pois é um dia em que os homens saem para Goiana com o objetivo de vender suas pescas e comercializar produtos. Quando o sonho de Pim acaba virando realidade, as personagens Maria Joaquina, Maria Clara, Maria Camarão e Maria Quitéria acabam tendo uma ideia brilhante que fará com que os moradores da vila ganhem uma boa vantagem até a chegada de mais homens para ajudar no combate.

O que achei totalmente interessante nesse livro foi o fato das autoras conseguirem escrever sobre um fato tão importante e verídico - mas que não é muito conhecido - misturando elementos sobrenaturais - que se apresenta na figura de Anhangá - e ao mesmo tempo conseguir deixar o enredo envolvente.


A História da Batalha das Heroínas de Tejucupapo merece toda essa relevância!


Em minha opinião esse livro merece 3 estrelas!!!



Comentários
4 Comentários

4 Comentários:

  1. Eu ainda tenho um probleminha com a literatura nacional de hoje, mas aos poucos isso vai sumindo ainda mais com indicações que parecem tão boas =)
    Mandou bem!

    ResponderExcluir
  2. Olá Marcão, achei muito interessante a premissa do livro. Fiquei curiosa para ler. Essa coisa de misturar fatos reais com ficçao me chama um pouco a atenção!

    Um abraço! Parabéns pela resenha!

    ResponderExcluir
  3. Olá Marcão, achei muito interessante a premissa do livro. Fiquei curiosa para ler. Essa coisa de misturar fatos reais com ficçao me chama um pouco a atenção!

    Um abraço! Parabéns pela resenha!

    ResponderExcluir
  4. Olá Marcão, achei muito interessante a premissa do livro. Fiquei curiosa para ler. Essa coisa de misturar fatos reais com ficçao me chama um pouco a atenção!

    Um abraço! Parabéns pela resenha!

    ResponderExcluir

Trate as pessoas da forma como devem ser. E você as ajudará a se tornarem aquilo que elas são capazes de ser (Goethe)

Obrigada pela visita!
www.pensamentosvalemouro.com.br

 

Curta também

Blogs parceiros


Instagram @pensamentosvalemouro

Pensamentos Valem Ouro- Todos os Direitos Reservados | Layout por Qeen Design | Programação por Heart Ideas